Make your own free website on Tripod.com
Ossos e esqueleto

A CURA NATURAL PLANTAS, ERVAS, RAÍZES E ALIMENTOS

Home   Plantas Medicinais   Propriedades das Plantas Medicinais   Dicas   Doenças  Órgãos   Contato   Relatos   Envie seu relato   Produtos Naturais   Especialistas   Plantas Ornamentais   Fitoterapia   Glossário    Viva com Saúde   Bibliografia

O ESQUELETO HUMANO


Geralmente tendemos a pensar que nosso esqueleto é simplesmente alguma coisa dura, que fica no fundo de tudo o que é vivo no organismo. Mas o esqueleto é muito mais que isso, ele é um movimentado armazém de minerais que é fundamental para o nosso bem-estar. Completamente segmentado, maravilhosamente articulado, o esqueleto nos mantém eretos e nos permite andar, dançar, tocar instrumentos e fazer todos os tipos de movimentos necessários a nossa vida. Imagine por um momento se você não tivesse um esqueleto: você seria um monte de geléia incapaz de movimentar qualquer parte do corpo. Essa armação do corpo funciona como suporte e proteção dos órgãos, principalmente os mais delicados, de serem porque envolve os órgãos vitais contidos no crânio, abdome e tórax. Na região do tórax, as 24 costelas servem como escudos para o coração e pulmões e são unidas ao esterno pela frente e pela coluna vertebral por tráz, a qual é constituída de ossos sobrepostos, as vértebras.

O esqueleto serve somente para proteger a carne?
Não. O esqueleto fornece também um conjunto essencial de materiais vitais, dos quais os mais importantes são o cálcio e o fosfato. Sua conveniente dureza foi utilizada pela evolução para servir às funções secundárias de locomoção e proteção de várias maneiras, que se alteram ao longo dos séculos. Há bilhões de anos, nossos ancestrais, organismos unicelulares que flutuavam no oceano, não precisavem de um esqueleto. Todo o cálcio e o fosfato de que necessitavam, eram encontrados em abundância na superfície da água. Mas ascriaturas multicelulares, especialmente quando migraram do oceano para a terra seca, necessitavam de algo que lhes permitisse carregar uma adequada reserva de cálcio e fosfato, sem a qual não sobreviveriam. Surgiu dessa necessidade o esqueleto, um lar fora de casa para as células que trocaram o mar pela terra.


O esqueleto do bebê
Quando o bebê nasce, seu esqueleto é formado predominantemente de cartilagem, um tecido elástico, composto por fibras que operam juntamente com o osso para a formação do sistema ósseo adulto. O bebê nasce com 350 ossos moles, mas muitos deles se fundem a medida que ele vai cresecendo. Por esta razão, o esqueleto típico de um adulto tem somente 206 ossos que funcionam como alavanca para os músculos se movimentarem. O crânio, que parece ser um osso único, apresenta, na verdade, 29 ossos que se encaixam e protege o cérebro, olhos e ouvidos internos. A parte interna dos óssos é composta por células que estão arranjadas em milhares de cilíndros que ajudam a distribuir as forças que atuam sobre os ossos. Aí estão abrigadas as células formadoras de sangue. A medula óssea (conhecida porpularmente como tutano) é o "miolo" do osso composto por células que produzem a maioria das as hemácias (células vermelhas dos sangue) e leucócitos (células brancas do sangue). Os óssos são compostos por minerais, principalmente cálcio e fósforo, que aumentam sua força e rigidêz. Na criança pequena, todos os ossos contêm a medula que produz células sangüínea, mas no adulto ela só permanece ativa nos ossos do tórax.

A forma dos ossos
Os ossos são classificados de acordo com sua forma. Eles podem ser longos, curtos, achatados, ou irregulares. O maior deles, o fêmur, é um longo osso na coxa. O fêmur representa 25% do peso do corpo.

O desenvolvimento dos ossos
O osso, por ser um tecido vivo e ativo, se renova constantemente até a fase da adolescência, que é quando ele amadurece em seu estado adulto. Na infância, o esqueleto passa por diversas etapas de desenvolvimento e fortalecimento. Nesta fase, novas células ósseas são formadas, enquanto as células antigas são frequentemente reabsorvidas. O crescimento dos ossos longos acontece principalmente na epífise, ou cabeça do osso. Ferimentos nessa região podem prejudicar o crescimento ósseo.

Como fortalecer os ossos?
Não somente exercícios físicos, mas também a composição de uma dieta correta, composta de vitaminas, principalmente a vitamina D, minerais como o cálcio, e proteínas ajudam o desenvolvimento de ossos.

O cálcio para os ossos
Por que o cálcio é importante para os ossos? Este elemento é vital para a passagem das comunicações eletroquímicas entre uma célua e outra. todo processo em que há um estímulo e resposta requer a presença do cálcio, que deve existir continuamente em estoque e numa combinação exata. E o organismos não pode depender de uma fonte tão irregular como a alimentaÇão. Quando há cálcio em excesso nos fluídos que circundam as células, o sistema nervoso fica superexcitado, e descarrega a energia espontaneamente, causando espasmos, contrações dolorosas e até morte. Ao contrário, quando há falta de cálcio, o sistema nervoso se torna indolente e os músculos enfraquecem. O fosfato, que contrabalança a acidez, não é menos fundamental

Problemas ósseos
Alguns dos problemas mais comuns nos óssos são as fraturas, luxações das articulações e estiramentos musculares. As vezes a espinha tende a se curvar para o lado, um problema conhecido com escoliose. Essa condição precisa ser constatada desde cedo para que haja tratamento satisfatório.
Coluna vertebral
A coluna vertebral, também conhecida como coluna dorsal, é uma estrutura de ossos e cartilagens que se estende da base do crânio à pélvis. Ela protege o delicado "miolo", ou tecido do osso, a medula espinhal, e dá sustentação ao tronco e à cabeça. Ela garante a estabilização da postura erecta do homem e, por outro lado, permite os movimentos necessários do corpo. O maior movimento desta coluna ocorre na parte cervical e lombar. Olhando a coluna de perfil, observamos que ela possui o formato da letra S. A coluna funciona como uma enorme mola dura flexível, que permite o movimento, e dura, para dar sustentação ao corpo.Ela conta com 33 ossos ou vértebras. Os últimos 9 se dividem em dois grupos que formam o sacro e o cóccix, ossos que formam a base da sua coluna vertebral. O sacro é uma estrutura triangular formada por 5 vértebras soldadas que apóiam a coluna e a liga ao pélvis. O cóccix é formado por quatro vértebras e não possui função específica. O envelhecimento dos ossos pode levar a desgastes, e esses desgastes causam segmentos da coluna vertebral. A diminuição da qualidade do tecido do disco intervertebral é prvocada por posturas erradas, longos períodos em pé ousentado, posição forçada, trabalho com postura inclinada, levantar e carregar cargas pesadas. A parte mais afetada por essas condutas incorretas é a coluna lombar. A postura correta reduz sensivelmente a carga da coluna vertebral. Discos intervertebrais, tendões, articulações e músculos das costas descarregam o peso sobre a coluna vertebral e recuperam-se melhor na posição deitada. Nesta posição, o sistema biológico do disco intervertebral relaxa e absorve líquido aumentando seu volume e melhora assim sua função de defesa. Assim, alternâncias entre cargas e descargas sobre os discos é condição para a saúde da coluna vertebral.

Seja nosso sócio

Clique aqui e ganhe com seu site.

Tom 3x4

 Voltar a Órgãos						Próxima  

Home   Plantas Medicinais   Propriedades das Plantas Medicinais   Dicas   Doenças  Órgãos   Contato   Relatos   Envie seu relato   Produtos Naturais   Especialistas   Plantas Ornamentais   Fitoterapia   Glossário    Viva com Saúde   Bibliografia